como pregar a palavraPara pregar a Palavra de Deus não é preciso muita informação, nem  mesmo métodos. Pregar tem como sinônimo passar ensino, conduzir o ouvinte a atentar para o que está sendo ensinado e levá-lo à prática.

Mas, não deve haver uma preparação para isso? De certo modo sim, e de certo modo não. Como assim?

Existem as pregações espontâneas onde aquele que deseja falar da Palavra de Deus, é levado pelo ímpeto do Espírito Santo, a fazer isso em qualquer lugar, em qualquer ocasião para qualquer número de pessoas, tanto  um grupo ou um único indivíduo.

As Escrituras relatam em todo Novo Testamento, seja no modo como Jesus pregava, ou no modo como os discípulos faziam isso, ou ainda nos ensinos das Cartas, que o cristão deve sair e pregar o evangelho a toda criatura, conforme lemos em Marcos 16:15 “E disse-lhes: Vão pelo mundo todo e preguem o evangelho a todas as pessoas.” E na carta de Paulo a Timóteo  “Conjuro-te, perante Deus e Cristo Jesus, que há de julgar vivos e mortos, pela sua manifestação e pelo seu reino: prega a palavra, insta, quer seja oportuno, quer não, corrige, repreende, exorta com toda a longanimidade e doutrina.  Pois haverá tempo em que não suportarão a sã doutrina; pelo contrário, cercar-se-ão de mestres segundo as suas próprias cobiças, como que sentindo coceira nos ouvidos;  e se recusarão a dar ouvidos à verdade, entregando-se às fábulas” (1 Timóteo 4:1-4). Isto não se refere somente a alguns escolhidos com esse dom, mas a todos que se confessam cristãos.

Nesses casos, não há preparação específica, mas simplesmente acontece, e aquele que está pregando é conduzido pelo Espírito a falar o que já aprendeu e vivenciou como testemunha do Evangelho.

Para o pastor

No caso de quem cuida da igreja, existe uma preparação por parte do pregador onde ele aprende como pregar:

  • Buscando orientação de Deus em oração e/ou jejum
  • Vasculhando a Palavra para encontrar os textos apropriados ao assunto que deseja ensinar
  • Aprendendo como pregar observando outros pregadores
  • Utilizando vários materiais como: dicionários bíblicos, chave bíblica, mapas, enciclopédias, internet, e outros meios disponíveis
  • Lendo esboços de pregações
  • Lendo e estudando com cuidado, comparando versículo com versículo, para não fazer interpretações precipitadas que possam levar os ouvintes ao erro
  • Trazendo para a pregação, conforme o caso, exemplos de sua própria experiência ou exemplos que facilitem o entendimento do que está sendo explicado
  • Fazendo anotações e esboços, organizando todas as informações
  • Escrevendo seu próprio texto

Essas coisas, bem exercitadas tornam aquele que vai pregar apto a transmitir a Palavra, conforme está escrito na Carta de Paulo a Timóteo, dizendo “ Procure apresentar-se a Deus aprovado, como obreiro que não tem do que se envergonhar, que maneja corretamente a palavra da verdade.” (2 Timóteo 2:15).

Ainda, na carta de Paulo a Tito, ele o instrui a que “apegue-se firmemente à mensagem fiel, da maneira como foi ensinada, para que seja capaz de encorajar outros pela sã doutrina e de refutar os que se opõem a ela.” (Tito 1:9)

O conhecimento das Escrituras, é claro, não deve se limitar aos momentos em que o pregador vai ministrar a Palavra de Deus. Se faz necessário estar sempre estudando, trocando ideias com outros cristãos, tirando as dúvidas ou questões que surgirem, para estar preparado para ser usado por Deus a qualquer momento e em qualquer ocasião.

A propósito, aquele que se dispõe a pregar o Evangelho de Jesus Cristo, precisa estar em contínua comunhão com Ele, andando em obediência à Verdade, para que não se torne um pregador hipócrita, ensinando aquilo que não vive.

A mensagem da Palavra do Senhor, quando pregada com exemplos da experiência de vida, pode tocar profundamente o coração daqueles que se encontram na mesma situação. Quando os ouvintes se identificam com o testemunho do pregador, estes, muito mais facilmente, abrem-se ao Evangelho para receberam as palavras ensinadas.

Veja algumas pregações prontas clicando aqui, e comece a exercitar!