Jó 42:1-6: “Então respondeu Jó ao SENHOR: Bem sei que tudo podes, e nenhum dos teus planos pode ser frustrado. Quem é aquele, como disseste, que sem conhecimento encobre o conselho ? Na verdade, falei do que não entendia; coisas maravilhosas demais para mim, coisas que eu não conhecia. Escuta-me, pois, havias dito, e eu falarei; eu te perguntarei, e tu me ensinarás. Eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos te veem. Por isso, me abomino e me arrependo no pó e na cinza.”

Neste texto, podemos ver a expressão de alguém que teve uma experiência real com Deus.

Quem era Jó? “…homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desviava do mal.” (Jó 1:1b). Jó era muito rico, tinha filhos e filhas que viviam como família unida; se visitavam, faziam festas juntos nas casas uns dos outros. No versículo 5 diz que Jó chamava todos os seus filhos depois que terminava o período de festas e os santificava; que Jó se levantava de madrugada e oferecia holocaustos (sacrifícios) a Deus pelos pecados que seus filhos poderiam ter cometido; Jó fazia isso continuamente.

No versículo 8 Deus pergunta a satanás se ele viu o seu servo Jó, homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desvia do mal; ninguém há na terra semelhante a ele; Deus fala das virtudes de Jó, vemos como Deus se orgulhava do seu servo.

Satanás desafia Deus e Deus permite que ele toque em tudo que Jó tem; a destruição é terrível, bens roubados, empregados mortos, filhos mortos; uma notícia ruim atrás da outra, porém Jó após receber todas as terríveis novidades declara no versículo 21: “o SENHOR deu e o SENHOR o tomou; bendito seja o nome do SENHOR!

Pergunta: Jó merecia isso? Um homem exemplar, o qual não havia igual na terra, merecia isso? No nosso senso de justiça não conseguimos aceitar uma coisa dessas!

Queremos achar um motivo para as dificuldades, uma causa para as tragédias, uma explicação para os problemas e acabamos não ouvindo a Deus! Por vezes vamos até Deus colocando que estamos nos esforçando em fazer as coisas certas, que os incrédulos não estão sofrendo como nós, vamos até a presença de Deus cheios de justificativas, pois, afinal, somos filhos de Deus…

Mas o sofrimento de Jó não parou aí, satanás não satisfeito provoca a Deus de novo e pede para tocar na carne de Jó e Deus permite.

Sofrendo todo tipo de tumor na carne, no versículo 10 Jó responde a sua esposa, que o aconselhara a amaldiçoar a Deus e morrer, “…temos recebido o bem de Deus e não receberíamos também o mal”. Em nenhum momento Jó dá crédito ao diabo pelas tragédias ou enfermidades, ele sabe que Deus é maior. Jó se humilhou diante de Deus e não clamou por seus direitos, pelo fato dele ser íntegro e reto.

1 Pe 5:6-9 diz: “Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno, vos exalte, lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós. Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar; resisti-lhe firmes na fé, certos de que sofrimentos iguais aos vossos estão-se cumprindo na vossa irmandade espalhada pelo mundo.”

Quando falamos da luta contra as trevas citamos o versículo 8, mas este versículo está dentro de um contexto, que fala de humilhação; Jesus se humilhou, Jó se humilhou, mas eu sou esforçado, eu faço as coisas certas, eu sou melhor hoje do que eu era antes de me converter, eu já perdoei tanta gente, eu já ajudei tanta gente, quando é que a minha luta vai acabar? Isso não é humilhação, e essa postura arrogante nos impede de nos aprofundarmos no conhecimento de Deus.

Precisamos aprender a nos humilhar diante da poderosa mão de Deus, pois Ele vai nos exaltar (colocar-nos em um grau mais alto) em tempo oportuno.

Jó fazia tudo certo, estava constantemente diante de Deus, por si mesmo e pela sua família, mas Deus o queria mais próximo e Jó reconheceu isso; ele diz que se arrepende no pó e na cinza por falar demais, por falar indignado enquanto passava por sofrimento na carne, se humilha se esvazia de si mesmo e enxerga o SENHOR.

No que tu és melhor que Jó meu irmão?

No que tu és melhor do que Jesus?

Eu me arrependo Senhor das minhas reclamações, justificativas, cobranças, valorização de boas obras, pois só tu Senhor, sabe o que é melhor, o teu plano é melhor e eu quero seguir nele, me humilhar e te buscar, amém!

Que possamos aprender como Jó a conhecer a Deus pelo que Ele é, e não pelo que pensamos que Ele é.

Por Mauro Fraga

Leia também:

Voltar para: pregações e estudos