daniel na cova dos leoesA história de Daniel na cova dos leões começa quando o rei Dario nomeou 120 pessoas responsáveis por administrar o império e colocou três supervisores sobre eles, um dos quais era Daniel.

Daniel se destacou tanto como supervisor que Dario planejava colocá-lo à frente de todo o governo.

Diante disso, os administradores e os outros dois supervisores procuraram algum motivo para acusar Daniel em sua conduta, mas nada conseguiram. Eles resolveram entre si “nunca vamos encontrar uma acusação contra Daniel, a menos que seja algo relacionado com a lei do Deus dele”.

Então os administradores e supervisores falaram com o rei Dario:

– Oh grande rei, todos nós achamos que você deveria emitir um decreto ordenando que todo o homem que orar a qualquer deus ou a qualquer homem, além de ti, nos próximos 30 dias, seja atirado na cova dos leões.

O decreto do rei Dario

O rei assinou o decreto com o seu selo real. De acordo com a lei dos medos e persas, tudo que fosse selado com o selo real não poderia ser jamais alterado.

Ao ficar sabendo desse acontecimento Daniel foi para a sua casa e entrou no seu quarto, abriu as janelas e orou ajoelhado ao seu Deus como costumava fazer. Os administradores espionaram Daniel e ao o avistarem fazendo assim foram logo relatar ao rei.

Daniel é jogado na cova

Quando o rei ficou sabendo dessas coisas, ficou muito triste e decidiu consigo mesmo que iria tentar salvar a Daniel até o final do dia. Mas os homens insistiam com ele alegando “lembra que a lei que foi selada com selo real não pode ser quebrada ou mudada”. O rei não conseguiu livrar Daniel e mandou que seus guardas o prendessem e o jogassem na cova do leões.

– “Que o seu Deus a quem você continuamente serve, o livre!” – disse o rei com pesar.

A cova foi tapada com uma pedra e o rei a selou com seu anel. Tendo voltado ao palácio não conseguiu comer e nem dormir. No dia seguinte, levantou ao nascer do sol e correu para cova dos leões. Quando ia se aproximando chamou com angústia a Daniel:

– Daniel, servo do Deus vivo, dar-se-ia o caso que o teu Deus, a quem tu continuamente serves, tenha podido livrar-te dos leões? (Daniel 6:20)

Deus fecha a boca dos leões

Daniel respondeu:

Ó rei, vive para sempre! O meu Deus enviou o seu anjo, e fechou a boca dos leões, para que não me fizessem dano, porque foi achada em mim inocência diante dele; e também contra ti, ó rei, não tenho cometido delito algum.

(Daniel 6:21,22)

Os acusadores são lançados na cova

O rei ficou extremamente feliz ao ouvir a voz de Daniel, ordenou que ele fosse retirado e ordenou também que aqueles que acusaram a Daniel fossem atirados aos leões com suas mulheres e filhos. E antes deles chegarem ao fundo da cova, os leões os despedaçaram.

A nova ordem do rei Dario

Então o rei Dario escreveu a todo o seu império:

Da minha parte é feito um decreto, pelo qual em todo o domínio do meu reino os homens tremam e temam perante o Deus de Daniel; porque ele é o Deus vivo e que permanece para sempre, e o seu reino não se pode destruir, e o seu domínio durará até o fim. (Daniel 6: 27)

Daniel e seus amigos sabiam que o Deus que escrevia a história humana era digno de confiança e não cometia erros. Eles sabiam que o fato de serem livres ou não de fornalhas ou de leões, não era tão importante quanto à necessidade de dar a glória ao único e verdadeiro Deus.

Veja também a história completa de Daniel.

Voltar para: Histórias bíblicas