profeta jonasJonas era filho de Amitai. Morava em uma pequena aldeia chamada Gate-Hefer na terra de Zebulom na Galiléia. Certo dia Deus falou a Jonas:

– Jonas! Eu quero que você se disponha para mim. Suba a grande cidade de Nínive e profetize contra ela, porque os seus pecados subiram até mim e já não os posso suportar.

Jonas se dispôs, mas não para obedecer a Deus e sim fugir Dele. Foi até o porto de Jope e embarcou em um navio que se dirigia para Társis. Jonas provavelmente lutava com os sentimentos que nutria contra Nínive, uma das cidades do império Assírio. Um império de gentios cruéis e inimigos de Israel.

A grande tempestade

O Senhor lançou uma grande tempestade que veio sobre o navio onde estava Jonas. E o navio estava a ponto de ser totalmente despedaçado. Os marinheiros apavorados lançavam as cargas ao mar com o fim de livrar-se de peso excessivo.

Jonas nesse momento dormia profundamente no porão do navio. O capitão o acordou dizendo:

– O que está acontecendo contigo? Levanta! Invoca teu deus, talvez ele tenha compaixão de nós!

Os marinheiros decidiram lançar a sorte entre si porque diziam “algum de nós é responsável por esse mal”. Eles lançaram a sorte e esta caiu sobre Jonas.

Então lhe disseram:

– Você pode nos contar porque isso está acontecendo conosco? Qual é a tua terra? E de que povo tu és?

Então Jonas falou que servia ao Deus vivo de Israel. Nesse momento os homens temeram muito, pois Jonas já havia contado que estava fugindo desse Deus.

– O que vamos fazer para que o mar se acalme?

Jonas respondeu:

– Podem me lançar ao mar! Porque por minha causa é que vocês se encontram nessa situação.

No entanto, os marinheiros não queriam sacrificar Jonas e remavam com todas as suas forças para que conseguissem chegar em terra seca. A agitação do mar não cessava e os marinheiros lançaram Jonas do barco. A fúria do mar começou a cessar.

Os homens que estavam no barco ficaram possuídos de temor e ofereceram sacrifícios e fizeram votos ao Deus de Jonas.

O grande peixe

O Senhor encarregou um grande peixe de engolir Jonas e dentro desse peixe Jonas esteve 3 dias e 3 noites.

Lá dentro do peixe, Jonas orou:

Na minha angústia clamei ao Senhor, e ele me respondeu; do ventre do inferno gritei, e tu ouviste a minha voz.

Porque tu me lançaste no profundo, no coração dos mares, e a corrente das águas me cercou; todas as tuas ondas e as tuas vagas têm passado por cima de mim.

E eu disse: Lançado estou de diante dos teus olhos; todavia tornarei a ver o teu santo templo.

As águas me cercaram até à alma, o abismo me rodeou, e as algas se enrolaram na minha cabeça.

Eu desci até aos fundamentos dos montes; a terra me encerrou para sempre com os seus ferrolhos; mas tu fizeste subir a minha vida da perdição, ó Senhor meu Deus.

Quando desfalecia em mim a minha alma, lembrei-me do Senhor; e entrou a ti a minha oração, no teu santo templo.

Os que observam as falsas vaidades deixam a sua misericórdia.

Mas eu te oferecerei sacrifício com a voz do agradecimento; o que votei pagarei. Do Senhor vem a salvação.

Jonas 2:2-9

Então o Senhor ordenou ao peixe, e este vomitou Jonas na terra. Deus falou com o profeta uma segunda vez e pediu o mesmo que havia pedido antes:

– Vá a Nínive e declare a mensagem que eu te disser.

Jonas obedeceu a Deus e percorreu uma jornada de três dias para chegar a Nínive. Quando chegou começou a declarar:

– Ainda quarenta dias, e Nínive será subvertida.

Jonas 3:4

O arrependimento dos Ninivitas

Os homens da cidade creram em Deus e se arrependeram de seus pecados. O rei de Nínive levantou do seu trono, tirou suas vestes e cobriu-se de pano de saco proclamando um jejum.

Nesse período todos os ninivitas clamaram e buscaram a Deus intensamente. E Deus ouviu o clamor deles, e mudou de direção resolvendo não destruir mais a cidade.

A revolta de Jonas

Com isso Jonas ficou muito aborrecido e extremamente irado.

E orou ao Senhor:

Ah! Senhor! Não foi esta minha palavra, estando ainda na minha terra? Por isso é que me preveni, fugindo para Társis, pois sabia que és Deus compassivo e misericordioso, longânimo e grande em benignidade, e que te arrependes do mal.

Peço-te, pois, ó Senhor, tira-me a vida, porque melhor me é morrer do que viver.

Jonas 4:2,3

E Deus respondeu:

– É razoável essa tua ira?

Então Jonas saiu da cidade e montou uma pequena barraca e repousou debaixo dela observando o que aconteceria a cidade. Deus fez nascer uma planta por cima da cabeça de Jonas para fazer sombra. Jonas sentiu-se extremamente confortável e ficou muito feliz.

Mas no dia seguinte, Deus enviou um verme e destruiu a planta que secando morreu. O Senhor também enviou um forte vento que dispersou as nuvens e um forte sol bateu na cabeça de Jonas:

– Melhor me é morrer do que viver!  – disse Jonas.

O ensino de Deus

Então perguntou Deu:

– É razoável essa tua ira?

– Sim, é razoável que eu me revolte!

– Tiveste tu compaixão da aboboreira, na qual não trabalhaste, nem a fizeste crescer, que numa noite nasceu, e numa noite pereceu;

E não hei de eu ter compaixão da grande cidade de Nínive, em que estão mais de cento e vinte mil homens que não sabem discernir entre a sua mão direita e a sua mão esquerda, e também muitos animais?

E assim termina a história do profeta Jonas.

Voltar para: Histórias bíblicas