caim e abelVocê pode estar pensando que a história de Caim e Abel não tem muita a ver com a sua realidade. Você nunca chegaria ao extremo de matar alguém por pura raiva afinal, não é?

Jesus nos ensinou que essa história tem muito mais a ver conosco do que imaginamos.  Quando nos iramos contra alguém, quando desejamos o seu mal, quando o invejamos… já o assassinamos em nosso coração.

Quem foram Caim e Abel?

Adão e Eva tiveram filhos após serem expulsos do jardim do Éden. Primeiro, Eva concebeu Caim e depois Abel. Abel se dedicava a cuidar de ovelhas e Caim era agricultor.

A morte de Abel

Certo dia Caim ofereceu a Deus alguns produtos de sua agricultura e Abel ofereceu o seu melhor cordeirinho.  Deus se agradou de Abel, mas rejeitou a oferta de Caim. Com isso Caim ficou furioso e teve inveja de seu irmão.

Deus tentou conversar com Caim dizendo:

Por que você está com raiva? Por que anda carrancudo?  Se tivesse feito o que é certo, você estaria sorrindo; mas você agiu mal, e por isso o pecado está na porta, à sua espera. Ele quer dominá-lo, mas você precisa vencê-lo. (Gênesis 4:7)

Depois destas coisas, Caim convidou o seu irmão para ir até o campo e lá o matou.

Deus o encontrou e perguntou:

– Por que você fez isso Caim? O seu irmão da terra clama a mim por vingança. De agora em diante você não colherá mais nada da terra. Você irá andar errante pelo mundo.

Caim respondeu:

– Não vou poder suportar esse castigo, porque quem me encontrar vai me matar, com certeza!

Isso não vai acontecer. Pois, se alguém matar você, serão mortas sete pessoas da família dele, como vingança. (Gn 4:15)

Em seguida Deus lhe colocou um sinal para que se alguém o encontrasse não o matasse.

Caim saiu da presença do Senhor e foi morar em Node (localizado a leste do jardim do Éden).

Por que Deus rejeitou a oferta de Caim e aceitou a de Abel ?

Há muitas especulações a esse respeito.  Listamos abaixo as principais linhas de pensamento:

  • Deus se agradou mais da oferta de Abel porque ele tem uma clara preferência por sacrifícios de carne/sangue do que frutas e verduras. O sangue seria o elemento reconciliador entre Ele e os homens.
  • Abel “fez exatamente o que Deus pediu” em oposição a Caim, que inventou algo de sua própria cabeça.
  • A reação de Deus não tem a ver com o sacrifício, mas com o caráter dos dois homens. De acordo com I João, Caim sempre foi “malvado” e isso justificaria a rejeição que sofreu.
  • A reação de Deus se justifica pela postura do coração de cada um dos irmãos na hora do sacrifício. Abel agiu com fé (Hb 11:4) ao passo que Caim não estava acreditando no significado de seu sacrifício.
  • Deus preferiu Abel porque ele escolheu as primícias, o melhor do que tinha para oferecer e já Abel não.

Obviamente, algumas das hipóteses podem ser compreendidas conjuntamente.

Citações de Caim e Abel em outros lugares da Bíblia:

Porque esta é a mensagem que ouvistes desde o princípio: que nos amemos uns aos outros. Não como Caim, que era do maligno, e matou a seu irmão. E por que causa o matou? Porque as suas obras eram más e as de seu irmão justas” (1 Jo 3.11, 12)

Foi pela fé que Abel ofereceu a Deus um sacrifício melhor do que o de Caim. Pela fé ele conseguiu a aprovação de Deus como homem correto, tendo o próprio Deus aprovado as suas ofertas. Por meio da sua fé, Abel, mesmo depois de morto, ainda fala. (Hebreus 11:4)

O assassinato e o conselho de Deus

Algum tempo depois dessa história, Deus escreve, por meio de Moisés, o mandamento “Não matarás”. Esse mandamento regulava a vida do povo de Israel no Antigo Testamento. O julgamento em caso de assassinato também foi proposto por Deus da seguinte forma: aquele que matou também deve ser morto, olho por olho, dente por dente, mão por mão, pé por pé.

Isso servia para regular, por exemplo, a vingança desproporcional, como ocorreu no caso de Lameque que afirmava, se gabando:

Matei um homem por causa de ferimentos que me causara; e uma criança porque me ofendeu. Ora, se Caim é vingado setes vezes, Lameque pode ser, setenta vezes sete!” (Gn 4:23)

O assassinato depois de Jesus

Jesus trouxe ainda mais luz para compreendermos como Deus enxerga o assassinato, ele ensina em seu sermão:

Vocês ouviram o que foi dito aos pais de vocês “Não Matarás”. Eu, porém, vos digo que todo aquele que se irar contra seu irmão, será réu de juízo; e quem disser a seu irmão: Raca, será réu diante do sinédrio; e quem lhe disser: “tolo” será réu do fogo do inferno

Ou seja, aquele que alimenta ira indevida contra o seu irmão, já o assassinou em seu coração.

Como podemos lidar com a ira

O sentimento que causou a tragédia na história de Caim e Abel foi a ira indomada de Caim. Quando Deus percebeu essa ira ele o advertiu dizendo “o pecado jaz a porta, mas cumpre a ti dominá-lo”.  A ira jamais pode ser senhora da razão.

Todo o ser humano é por natureza violento e competitivo.  Queremos ser melhores e nos  sentir melhores do que os outros. Não suportamos a ideia de nos vermos em uma posição inferior. Como Caim, não conseguimos enxergar o outro “sendo honrado por Deus” em detrimento de nossa própria glória.

O conselho de Deus para nós continua sendo o mesmo:

“cumpre a ti dominar o teu sentimento”.

E tendo feito isso, poderemos viver como verdadeiros irmãos.

Voltar para: Histórias bíblicas

Ir para: Pregações cristãs